quinta-feira, 26 de janeiro de 2006

A Famiglia: a Zanga (1)




A Famiglia anda em polvorosa. É o que acontece quando se zangam duas comadres desbocadas como o shô Nuno e o Zé Veiga: ferve porcaria a toda a hora. Da grossa. O shô Nuno, acusado de cinco crimes no Apito Dourado, anda a embirrar com o Zé, de quem foi capo e compincha durante tantos e tantos anos. A zanga só podia dar para o torto, tantas são as velhacarias que um conhece do outro – e o outro conhece do um, bem entendido. O mais perturbante é que nenhum dois está a respeitar a regra sagrada enunciada por Don Vitto Corleone: OS ASSUNTOS DA FAMIGLIA NÂO SE DISCUTEM EM PÚBLICO.
Ainda ontem, no Américo de Matosinhos, o d’Onofrio comentava à boca cheia para o Pimenta, o Garrido e o Valentim:
-- Isto é uma vergonha! Que meninões! Não há decência, não há decoro, não há respeito! É um enxovalho à Famiglia!
Os outros acenaram que sim, que era uma vergonha, uma grandessíssima afronta. E o Pimenta até disse, baixinho:
-- Lucci, tens de fazer qualquer coisa; isto está a ir longe de mais.


Camillo Alves

3 comentários:

dalhegas disse...

lindo! isto está cada vez melhor ehehehehheheheh.

Anónimo disse...

Pois: zangam-se as comadres, descobrem-se as verdades. Só é pena que o Benfica esteja a ser arrastado para uma guerra de mafiosos.

luis almeida disse...

Parabéns pelo blogue. Tem textos brihantes. Não fazem mal nenhum em confundir a realidade com a ficção. Farto de verdades oficiais e prosas certinhas e cinzentinhas estou eu.
Não parem, quero viciar-me nisto.