terça-feira, 31 de janeiro de 2006

Chega de palhaçadas



Veneráveis leitores, eis-me de regresso às lides tertuliescas depois de uns merecidos dias de repouso no Reid's, que isto de frios extremos vão mal com a minha espondilose e com o ferimento sofrido em Angola, durante a Guerra Colonial. Enfim, o tempo funchalense também não esteve por aí além, choveu como a puta que o pariu, mas pronto, sempre se está melhor à humidade do país do Jardim que no jardim à beira-mar plantado.
O Alberto João continua em grande forma política - a física é uma lástima, o homem parece uma foca e ainda é confundido com as que vivem ao largo de Porto Santo - pelo que num beberete para o qual teve a amabilidade de convocar este seu velho amigo de copanázios e espanholas nos idos de 60 (ele a tentar, a custo, concluir Direito e o vosso general a preparar-se para embarcar para as colónias), Jardim botou faladura e foi, como sempre, direto ao que interessa: as organizações comunistas obtiveram 14 por cento de votos nas últimas eleições locais e o Jardim achou a coisa excessiva. Vai daí, não foi de modas e disse, alto e bom som: Meus senhores, para a Madeira, isto é demais! Andamos entretidos com guerras de salão e depois admirem-se... são as confusões, as contestações...
Ou seja, vivo como um alho, o Alberto não quer cá palhaçadas, Jerónimos, Louçãs, Alegretes, fados, cidadanias e cobóiadas. Naturalmente, este velho militar de escol está com o Alberto e não embarca em toiradas. Quem as quiser ver, tem o Campo Piqueno que, não tarda nada, abrirá com grande estadão.

Do vosso camarada de armas,
Mabor, General

3 comentários:

mónica disse...

Esse Alberto João é o maior alarve que a Republica produziu desde Silva Resende e Soares Martinez. Um chouriço de esterco que devia manter o esgoto sempre fechado para obras de reparação da cárie e do verdete. O homem fede, o homem incomoda, o homem é boçal, o homem é completamente anti estético, anti cultural e anti social. Numa palavra, o homem é completamente anti constitucional; abata-se pois a besta

Anónimo disse...

Está tudo dito ó Mónica! Parabéns

teresa almeida disse...

O Alberto João é a prova do imenso atraso cultural português. País que se respeitasse e onde houvesse um minimo de auto-estima, não tolerava nem um décimo dos desaforos do Jardim. Que representa para todos os efeitos o pior da baixa-politica regional. O caciquismo, a verborreia, a grosseria, o mau gosto, o tráfico de influências e lugares, a corrupção, a perversão da lei, o banditismo, está tudo lá. Parabéns ao blogue. É lufada de ar... risonho em tempos de angústia. Bem hajam.