sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Bom Natal para todos




Não será o Natal perfeito, é o que há. Confiemos no amanhã. Um abraço muito forte - de estalar ossos - aos meus companheiros de tertúlia cibernética e Amigos de sempre. Rapaziada: aguentem. A seguir à tempestade vem a bonança e não há tormenta que dure sempre, com licença do Júlio Isidro. Lembrem-se. O pior que nos pode acontecer é sermos obrigados a emigrar... o que, tendo em conta o estado deste País - pasto de corruptos, invertebrados e choninhas - é capaz de ser boa ideia. Vejam lá o Vaz: o homem adora este País mas fartou-se de barrascos e fideputices e, de um fôlego, pegou na mulher e no filho pequeno e pisgou-se para Moçambique, onde parece que está feliz. O rapaz respira, finalmente!
Por mim, já comuniquei aos próximos para onde gostava de ser desterrado: Virgin Gorda, nas Ilhas Virgens Britânicas (BVI). Estive lá em 2003 e gostei muito. Dos Baths (foto de cima) e do resto. Ademais, conheci recentemente em Marrakech um milionário britânico que por lá veraneia dois meses ao ano e pareceu-me cavalheiro para dar uma mãozinha ao barão, em caso de necessidade. E se o barão precisa... Bom. Só preciso de um apartamentozito [se puder ser na zona de Savannah Bay, foto de baixo, tanto melhor], um computador com ligação à internet e uma arrecadação com capacidade para 15 mil livros. E está feito. Não chateio mais ninguém e livro-me da choldra. É esse, desconfio, o alívio que atenua a mágoa do Vaz. Adeus ó choldra.

Feliz Natal para os confrades de tertúlia e para todos os estimados leitores do RESTAURADOR. Haja fé!

Barão de Lacerda

1 comentário:

bernardo m. disse...

FELIZ NATAL ESTIMADO BARÂO!!!