segunda-feira, 27 de novembro de 2006

Meu pobre César

Bolas, eu conhecia o César Oliveira, do «Record». Morreu num estúpido acidente aéreo, no Chile. Era tão novo: 34 anos. Uma jóia de rapaz. Perspicaz, culto, amante do desporto mas, sobretudo, do cinema e das viagens -- do chamamento das viagens. Escrevia bem e tinha sentido de humor. Creio que o César não gostaria nada de saber que fez a «primeira» do 24 Horas. Este pasquim aproveitou a desgraça para fazer uma «manchete» bombástica e desajustada. Os pasquins são isto: não respeitam nada. Nada. Vale tudo para vender mais uns pozitos em banca. Estupores.

Fica em paz César.

Barão de Lacerda

1 comentário:

mariana s.m. disse...

Estimado Barão

Vejo que continua a embirrar com o 24 Horas. Faz V.ª Exc. muito bem!
É um sinal inequívoco de lucidez...