sexta-feira, 24 de novembro de 2006

Para acabar de vez com a Cultura


O Centro Cultural de Belém acabou com a Festa da Música.
É fácil: o Estado, leia-se o Ministério da Cultura da despenteada Pires de Lima, cortou-lhe as vasas. Ficamos todos mais pobres num País consolidadamente deficitário.

Lá se acabou a mama para o CCB. O Mega Ferreira, que dá guarida a uma série de chulos e lambe-botas, viu as verbas cortadas para uma das poucas coisas de jeito que se fazia em Portugal na democratização da Cultura e, não menos importante, na divulgação da chamada música clássica.
Fica no ar uma idéia: a Festa da Música só funcionava porque o dinheirinho caía do céu sem grande dificuldade.
O que fizeram os gestores do CCB para angariar patrocínios das Mercedes, dos BES, das Margarinas Vaqueiro, dos Custódio Cardoso Pereira,dos preservativos Durex, da inculta Câmara Municipal de Lisboa que nunca percebeu o alcance da cousa, para garantir a continuidade da Festa apesar do Estado?
Como de costume, nada. Sentaram-se a fumar umas charutadas e a dizer umas larachas...
Acabou-se o taco, continua o tacho... The show must go on!!!

Nada disto é grave porque o pomposo Ferreira, o da EXPO 98 e das suas mega - barracadas financeiras, anunciou que já tem substituição preparada: piano, muito piano para alegrar a populaça e daqui a dois anos, se correr bem a cauda dos Steinway será trocada por um festival de pífaro.
Quanto ás sete orquestras portuguesas ( já de si, quantidade miserável ), vão mas é tocar pró coreto porque no CCB níqueles.

Já se sabe:
Os pobres quando querem ouvir música... assobiam!

Um abraço desafinado do
Tawny de Mattos

2 comentários:

Amélia Rodrigues disse...

Tem toda a razão no que diz, sr. Tawny de Mattos. Sugiro que se reuna com a Tonicha, o Gabriel Cardoso e o António Calvário. Procurem fazer um concerto. Posso desenrascar-vos um biscate ou dois. Tenho uma oficina de reparações em Bobadela.
Ao dispor

A.R

João Sebastião Bacz disse...

MEGA FERREIRA
MEGA FLOP
MEGA FRACASSO
MEGA CHULICE
MEGA IGNORÂNCIA
MEGA LAXISMO

Vai-te embora ó MEGA!