quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Foi-se o Altman




«N.A.S.H», «Buffalo Bill e os Índios», «O Jogador», «Short Cuts», «Gosford Park». Foi-se-nos o grande cineasta Robert Altman, homem culto de sátira certeira e incomplacente. A América foi o seu alvo preferido. Por isso foi posto de lado pelos estúdios e esses tarefeiros engravatados de Hollywood. Os olhos azuis de Altman – olhos de lince -- viram sempre antes do tempo. Homem culto. Ultimamente estava mais bondoso. «Short Cuts» (o meu favorito), é um retrato fantástico de Los Angeles e dos Americanos. Mas vou rever «The Player». Para me lembrar do único realizador que soube o que fazer com a Greta Scacchi. Homem culto.
Ficam os filmes.

Barão de Lacerda

1 comentário:

Joana Cunha Barros disse...

Meu caro Barão

Lê-lo vai-se tornando um prazer diário... faz-me rir e concordo com muito do que escreve. Lembra-me alguém que conheci e perdi de vista com muita pena minha.
Também gostava de Robert Altman e «Short Cuts» encantou-me. Não citou «Nashville» por alguma razão especial?
Parabéns de uma leitora cativada. Pelo estilo, pela graça, pela contundência.

Os meus respeitos

Joana C. B.