sexta-feira, 10 de novembro de 2006

Ai coitadinho...

É com a maior consternação que transmito a má nova: Markus Wolf, o "homem sem rosto" morreu...
Para quem não liga o nome ao animal aqui fica um breve apontamento sobre este personagem que faz corar de inveja qualquer mariola que tenha servido na Gestapo.

O nosso Markito chefiou durante mais de 30 anos a secção de espionagem do tenebroso Ministério para a Segurança do Estado ou merda equivalente, desse bastião da liberdade que foi a República Democrática da Alemanha. O saudoso defunto era diligente e muito capaz na sua actividade. De tal modo que a STASI pedia meças ao KGB na qualidade dos prestimosos serviços prestados ao tolerante bloco soviético. Entre outras habilidades mais triviais como torturas(ver foto), raptos ou mortes, o nosso herói inventou um truque de se lhe tirar o chapéu:
O filantropo Hitler, na sua tentativa de apurar a raça, criou um simpático programa secreto - o "Lebensborn". A explicação é curta e grosseira, mas o objectivo era que as crianças viessem ao mundo já loirinhas e de olho azul, tendo sido muitas delas entregues para adopção pelas próprias mães. Passados uns anos, e o Markos, sensível á dor da longa separação e para minorar as saudades das mamãs, lá arranjou maneira de atravessar uns matulões de tipo ariano da RDA para a RFA, como se fossem os desaparecidos bébés do "Lebensborn" durante a II Guerra Mundial. Como manobra de infiltração dos seus sequazes não parece nada mal...

O sacana do Wolf era um filho de puta de grosso calibre, confirmando isso mesmo numa entrevista de 1997 em que insistiu que o trabalho da sua vida não tinha sido em vão e que as suas acções contribuiram em muito para a "detente" Leste - Oeste. Pena foi que o muro de Berlim na sua queda não tenha rebentado os cornos ao canalha que só agora, aos 83, se apagou.

Gajos destes fazem-me vacilar na crença antiga de que não há rapazes maus...

Padre Américo

7 comentários:

Ferdinando Estázio disse...

Caro Padre,
Este gajo até nem tinha um mester de mau gosto, por assim dizer... A praxis do senhor Wolf consistia em seduzir e copiosamente copular com as secretárias do tipo solteiro do governo de Bona. às quais extraía informações e cópias de documentos dos próprios chanceleres, a troco da introdução continuada do respectivo pénis nos variados orifícios corporais das donzelas amanuenses destinados (ou não) para os devidos efeitos, entendam-se as altas e baixas extremidades do aparelho digestivo (vulgo boca e recto) em verdadeiras proezas de prática endoscópica e, naturalmente, no sector do aparelho reprodutor destinado a esse propósito, a vagina, popularmente conhecida como pachacha.

isabelinha disse...

Perdoai-lhes Senhor porque pecaram.
Haverá perdão para este Wolf e para tantos filhos da p***?

individualidades disse...

todos loirinhos e de olhinho azul...isso faz pensar duas coisas. a primeira é simples: se era suposto ser assim, entao os "tipóias" vigentes do regime nazi, não deviam estar também de acordo com essa fantástica "raça"? fica aqui outro apontamento...que na minha opinião a maldade vem embrionada...e sim existem rapazes maus, e os Homens não são perfeitos...(caso caia na crença de tal!)

Ana

Gustavo Sarmento disse...

Caro Ferdinando Estázio, é parente dalgum Stazi? Seja ou não, olhe que isso de copular com secretárias de Bona não é grande coisa. São geralmente feias e de mau gosto. Acredito que para o porco comunista Wolf não fizesse diferença: Mas com uma mente como a dele quem se importa com destalhes?

Sofia Ramos disse...

Comunas e nazis: ão bons uns como os outros.

Anónimo disse...

D. Isabelinha
Tem de entender que o pecado não é para todos. Só para os católicos. Os gajos eram maus, mas não chame Deus para isto.

Fernando Teles disse...

Caro Pe. Américo
Que linguagem usa o senhor para catalogar um homem de tão bons princípios! O Marcus Wolf não merece. Sacana, filho da puta? Olhe que vai parar ao inferno!