quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Maravilhas da Natureza (23) Hervé de Villechaize



DOM HERVÉ DE VILLECHAIZE. Poeta, ensaísta, navegador.
Dom Hervé João Pedro Telles e Noronha de Bragança Orleans e Villechaize. França. Paris, 23 Abril 1943. Assassinado pelo rato Mickey a 4 Setembro de 1993.
Nota: Dom Hervé era anãozinho. Filho primogénito da Condessa de Ségur e de Dom Tolentino de Bragança, passou fases da infância em Portugal. Licenciou-se em Humanidades na Sorbonne antes de ingressar na Marinha de Guerra, onde se destacou por actos de bravura em três batalhas atlânticas. Poeta, ensaísta e trovador de excepção, ganhou o Prémio Pessoa em 1991 e atingiu as meias-finais da Taça Uefa no ano seguinte. José Saramago e Jane Birkin consideravam-no «um gigante intelectual». Foi amigo de João Soares, Pinto Balsemão, Fernando Mamede, Joel Branco e Costa Malheiro e fez negócios com os manos Anthimio, Pinheiro e Belmiro de Azevedo. Detestava o cronista Carlos de Castro, a quem esbofeteava com frequência. Viveu sempre em 1.ºs andares porque não chegava aos botões mais altos dos elevadores. Foi morto pelo rato Mickey em Napa Valley, Califórnia, no decurso de uma discussão fútil. O funeral foi arbitrado por José Guímaro e assistiram 2.500 pessoas.


Professor Palladium

14 comentários:

Anónimo disse...

He he he he, sacrista do homenzinho, todas as bofardas foram bem dadas. O rato Mickey chegou a ser preso? O Pateta também matou um nobre e recebeu uma medalha do Congresso por isso

Menino Saul disse...

O rato Mickey está em prisão domiciliária com o queijo à porta e o juiz é o senhor do blusão e da mota.

Anónimo disse...

Este palhaço não era o da Ilha da Fantasia?

Anónimo disse...

Acho indecente gozarem com o anão e meterem a realeza portuguesa ao barulho.

Toto Skorkzernensi

Nunes da C. Pereira (anão) disse...

O João Braga vai cantar um faduncho em honra do anão no jantar dos conjurados. Hoje.

miguel horta disse...

Há uns anos, em conversa com o sacana do Villechaize, fiquei ciente do raro sofrimento que atormenta este e outros espécimes do género. Dizia, entristecido, a merda do anão:
Olha Miguel, o nanismo em si mesmo não é grande coisa e dele não vem grande tormento, salvo as anedotas e as palmadas na testa... O pior disto é muitos de nós termos as mãos parecidas com o bardamerdas do Santana Lopes. Umas manápulas sapudas e disformes, sabes?
Daí a um choro convulsivo foi um passo.

Sophia de B. disse...

O nanismo pode ser positivo. Vejam o puto do Sporting: é Nani mas joga como gente grande!
Quanto a este Villechaize, não sei o que fez mas não deve ser grande merda para se deixar abater pelo palerma rato Mickey

Cumprimentos
S.A.R Dona Sophia de Bragança

Felipe de Orleans e Chamuça disse...

É pá, não se faz. Gozarem com o cabrão do anão ainda vá, agora inventarem que ele espetava chapadas no Castro, não dá. O Castro, essa montanha de músculos e virilidade! O Castro limpava o pequenito com um traque.

Anónimo disse...

O palerma do anão tem mesmo focinho de tolo. Bem fez o rato.

Filipa Morais disse...

GRANDE PALHAÇO este Villechaize! Enquanto me lembrar da Ilha da Fantasia não consigo olhar de frente para os anões [quer dizer, para baixo]...
PALHAÇO! JÁ FOSTE! VIVA O MICKEY!

Maria Antónia Garrida disse...

O Guímaro marcou um pénalte? estava tudo tratado? E quem o nomeou para o funeral do anecas?

António Carvalho Eanes disse...

Não tinha nada contra o anão, mas depois de ler estes comentários também já não gosto nada dele. Ainda bem que morreu.

Bosta Gomes disse...

Cabrão do anão. É mesmo feio.

margarida p correia disse...

Estupor do anecas.