quarta-feira, 14 de março de 2007

Sir José Mourinho


Acabadinho de chegar a Londres vindo de Manchester onde Durão Barroso, um grande amante de futebol, foi anunciar a jogatana de celebração dos 50 anos do Tratado de Roma, acabei a tomar um chá ali para as bandas de Belgravia. Em boa hora, devo dizer, já que dei de caras com uma boa e velha amiga, a Elizabeth Alexandra. Claro está que, caídos nos braços um do outro, relembrámos os swingin' sixties, os charros em Carnaby Street, as mini-saias ( que ela amavelmente não usava) e aquelas merdas todas. A Beta ia adiantando que, apesar de tudo, o fim dos 70's é que é que tinham sido do caraças com o Sid (Vicious), o Ian (Dury) e aquela malta toda sempre a arregaçar, o Marquee Moon e o diabo a sete. Aqui chegados, a Beta, dona de fina ironia e com ar distraído, perguntou:

- Agora por sete ó Américo, lembras-te quando fomos a Vigo assistir ao treino do Celta com o Benfica? Também foram sete, hein?

Bom, não se pode mandar a Rainha de Inglaterra e restante Reino Unido, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Jamaica, Barbados, Baamas, Granada, Papua-Nova Guiné, Ilhas Salomão, Tuvalu, Santa Lucia, São Vicente e as Granadinas, Antigua e Barbuda, Belize e ainda de Saint Kitts e Nevis à merda e, assim, fiquei-me por um sorriso amarelecido.

- Deixa lá, isto só para te dizer que continuo a gostar de futebol e aqui há dois dias chegaram-me com muito atraso, sim que os correios daqui são uma porra, nada como os CTT do Nazaré..., alguns jornais desportivos como "A Bola" e a "Gazzetta dello Sport" e fiquei deveras espantada com esse rapaz tão simpático e educado que é o Josê Môrino. Não sabia nada que o rapaz tinha formação em medicina.
- What? perguntei no meu melhor Inglês.
- Sim, na "Gazetta" vem que o Môrino é um reputado neuro-patologista e que tinha conseguido descobrir um neurónio na cabeçorra do jaimie Pacheco, ainda que em mau funcionamento...
- But... interrompi para esclarecer a boa amiga.
- Nem but nem meio but - prosseguiu ela -, o homem é um génio, deve sair ao Egas Moniz, aquele vosso 1/2 Nobel, o da lobotomia. E, para além da esmerada educação, o talentoso rapazola é de uma simplicidade e humildade como já não se usa, olha que até finge falar um Inglês de segunda classe só para não lhe chamarem arrogante... Fica sabendo que já liguei para o Abramovich, esse honestíssimo russo ainda aparentado com os Romanov - daí o Roman como christian name ou nome próprio se preferes, esclareceu - e disse-lhe que ia fazer do José um "Sir", como o Ferguson do Manchester, ou o rabicheta do Elton John de quem não deve ficar atrás. O tipo merece, é um cavaieiro*.

Despedimo-nos até uma próxima e, ainda enjoado com a puta da ideia emborquei um 1/4 de Carveieius**, please.

De Heathrow enquanto uma simpática policewoman me espreita por debaixo da sotaina para evitar terrorismos vai um abraço saudoso do
Padre Américo

NT.:
* Cavalheiro
**Carvalhelhos

1 comentário:

Anónimo disse...

Keep up the good work. general health Read a useful article about tramadol tramadol