sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

Bons Hábitos


Já em 1500 a padralhada é que sabia. Chegavam lá aos Brasis, aspergiam as nativas naquelas túnicas vaginais exóticas (tecnicamente o termo não será bem este mas vale a idéia...) e depois era fartar vilanagem: a marujada cheia de doenças do mar salgado, doenças que se pegavam por via anal e/ou outras merdices, já podiam procriar mestiçagem como se fosse estratégia política do Reino de Portugal & Etc. Gajos como o Pe. Manuel da Nóbrega (vale este como qualquer outro nome) diziam lá á nativa que Vade Retro Satanás, o que levava garotas que não dominavam a língua mátria assim tão bem - ainda hoje o fenómeno se verifica - a pensar que era virar o cú e mandá-los encavar, assim se criando aquilo que dizem ser um bom hábito das garinas oriundas da Terra Brasilis.
Tawny de Mattos

3 comentários:

Arq. Taveira disse...

Hoje vai-se a Fortaleza e é enrabá-las até á medula. A malta fica contente e elas não se importam de fingir que gostam tanto como o panilas do Herman José a troco de uns poucos Reais. Cuidado é com asdoenças sexualmente transmissíveis rapaziada. faz-me lembrar os meus bons tempos em que ia ao cú a algumas esposas de ilustres cavalheiros cá da terra. Isso é que eram tempos...

Anónimo disse...

Hum, será consequência desse hábito insalubre de ir ao cú das descuidadas nativas que o Pe Frederico, meio míope, ia enrabando os garotos na Ilha do Rei Alberto?

Dr. Gino disse...

Tenho uma dúvida: ir ao cú ás gajas pode engravidá-las? É que há primeiros e outros ministros que se diz terem esse péssimo hábito de apanharem no cú e têem filhos...
Grato pela atenção